Quando transbordei a noite inteira

26 de abr de 2017
- Aninha. Amor tem validade?

Foi o que eu perguntei à motorista do Uber às quase 7 da manhã, um tanto que alcoolizado no banco de trás do carro. Moro longe, sabe como é, fui o último a ser deixado em casa. Acho que Aninha já não aguentava a minha companhia.

"Eu acho que tem", foi o que ela me disse com a voz baixa, disferindo um olhar meio envergonhado pelo retrovisor. No fundo ela sabia onde eu queria chegar. E nem era em casa. O que eu não disse pairava no ar. A resposta dela me deixou sem jeito. Meio preocupado, receoso. Meio bêbado com o copo vazio. Eu transbordei a noite toda.


No começo da viagem eu havia deixado escapar uma dúvida. Dessas idiotices que a gente solta e depois se arrepende. Mas de um jeito ou de outro deu certo.

"Aninha, tu é sapatão?", foi o que soltei quando percebi algo familiar no ar. "Não, mas tenho uma irmã que é", foi a resposta dela. Ou o que eu lembro dela. Rimos. E acho que foi ali que ganhei a Ana. Ela nem precisou retrucar com uma pergunta pra saber o que eu responderia. Minha indelicadeza, que soa ainda mais desagradável ao escrever isso aqui, foi o que me deu confiança para ir além um pouco depois. Quando estávamos a sós.

- E como a gente sabe se é amor mesmo?

Aninha, com uma sabedoria que admito não possuir parou o carro antes de me responder.

- Moço, quando não cabe no banco de trás é amor. E a gente chegou ao seu destino.

Tonto e cansado eu só consegui dizer "obrigado", seguido de um "desculpa qualquer coisa". Havia, enfim acabado. Não somente a viagem, outras coisas também se findaram ali. Queria que ela tivesse me dito isso também. Ana me esperou descer, tocar a campanhia e alguém vir abrir a porta para mim. Ninguém veio, ela foi obrigada a ir embora e eu cochilei na calçada. Dormi pensando que poderia ter recebido uma resposta melhor, mais didática. Às vezes a gente precisa que alguém desenhe o fim da linha. Às vezes voltar atrás é preciso para seguir em frente.

Porra, Aninha.  Eu queria ter dado avaliação máxima para você, umas cinco estrelas no aplicativo, um match de coração, mas nem fui eu quem pedi o Uber.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de dar sua opinião nesse espaço.Seu comentário é muito importante.
O QUE ACHOU DESSE POST?

TERROR

Jantar Secreto - Raphael Montes
Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de...
Jogos Macabros - R. L. Stine
Conhecido mundialmente por seus livros de terror e suspense, com centenas de milhões de exemplares vendidos, R. L. Stine desponta no cenário da ficção juvenil pela genialidade na criação de enredos sinistros...
Psicose - Robert Bloch
O clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O livro teve dois lançamentos no Brasil, em 1959 e 1964...
Nosferatu - Joe Hill
Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa...
O Vale dos Mortos - Rodrigo De Oliveira
Com passagens por Brasília, Estados Unidos, China e França, O Vale dos Mortos baseia-se na profecia de que um planeta intruso ao sistema solar, ao raspar por nossa...

FANTASIA/ POLICIAL

LEIA MAIS

ESPECIAIS ♥

Juntando os Pedaços - Jennifer Niven
Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar...
O Livro de Memórias - Lara Avery
Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível.E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença...
Simon vs. a agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli
Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da...
Quando finalmente voltará a ser como nunca foi - Joachim Meyerhoff
Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital...
Eu Te Darei o Sol - Jandy Nelson
Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia...

POLICIAL

LEIA MAIS